quinta-feira, 19 de maio de 2011

(500) Dias com Ela: Que seja infinito enquanto dure


Hello! Bem, eu estive pensando, este pequeno blog já tem quase um mês de existência (own, meu bebê *-*) e sabem o que ainda estava faltando?

*Eu sei, eu sei!*
Sim, moça na primeira fileira, pode falar!
*Uma resenha de fiiilme!!!*
Excelente! Produção, arrumem um brinde para ela!
(depois eu não sei por que me chamam de esquizofrênica...)

Mas, er, enfim, é isso mesmo, uma resenha de filme. O que é meio estranho já que, por mais que eu seja louca por livros, os filmes foram meu primeiro amor, desde os primórdios, quando nem a literatura nem a música importavam muito.

Resolvi, então, começar por um dos meus filmes favoritos. Pelo menos, é minha comédia romântica favorita. "(500) Dias com Ela" (ou "(500) Days of Summer", trocadilho legal que obviamente morre no título nacional) é a história sensível, realista, divertida, triste, envolvente e complicada dos 500 dias de amor e ódio entre Tom Hansen (Joseph Gordon-Levitt) e Summer Finn (Zooey Deschanel).

Tom, apesar de ser formado em Arquitetura, trabalha numa empresa que produz cartões (pra datas comemorativas e shit like that). É lá que ele conhece Summer, a nova assistente de seu chefe. Sentindo-se atraído pela moça desde o início, ainda mais depois de descobrir que ela gosta de The Smiths (realmente, isso é um fato que sempre faz aumentar a atração de uma pessoa pela outra, pelo menos pra mim *-*), o rapaz passa a se aproximar cada vez mais dela, até que, ta-dah, eles estão em um relacionamento. O problema: Tom está perdidamente apaixonado. E Summer não quer nada sério e nem acredita em amor verdadeiro.

"To die by your side is such a heavenly way to die..."


A história dos dois não é mostrada em ordem cronológica. No comecinho do filme, o namoro já está terminado e Tom está super deprimido. Depois, volta no tempo para mostrar como eles se conheceram, e segue com essas idas e vindas temporais, alternando entre momentos felizes e melancólicos, trocas de carinho e brigas, praticamente como se fosse um mosaico da relação.

E é uma relação linda de se acompanhar. Juras de amor eterno podem ser muito bonitas quando bem feitas (quando são mal feitas e exageradas ficam um porre...), mas tem algo de especial em conversas simples entre os membros de um casal sobre o que eles tem em comum, ou sobre as coisas que eles contam um para o outro e para mais ninguém, e no mundinho de brincadeiras e piadas internas que eles criam para si (atenção - épica cena da loja de móveis). São algumas das demonstrações de afeto que eu mais gosto de ver, e dão uma receita tão gostosa! Felizmente, ao contrário de muitos romances, "(500) Dias com Ela" não erra a mão no açúcar. 


Outra coisa que eu adoro no filme é a criatividade. A cena do "musical da felicidade" que o Tom protagoniza depois da primeira noite de amor com a Summer já é clássica, com o povo dançando animadão pela cidade, assim como a da "expectativa vs. realidade". Até as animações que aparecem para marcar os dias dão um toque especial, uma sensação de algo único.

E o elenco, bem... o elenco é excelente. Joseph Gordon-Levitt é um rapaz garboso, estranhamente parecido com o Heath Ledger, do qual eu sempre gostei, desde outra ótima comédia romântica, "10 Coisas que Eu Odeio em Você", e do seriado "3rd Rock From the Sun" (alguém lembra disso?? Era sobre um grupo de ET's que vivia infiltrado entre os humanos xD). Ele faz do Tom um personagem gente fina e carismático e, mesmo com seus defeitos, é muito fácil simpatizar com ele.
A Zooey Deschanel é uma moça um pouco overhypada, mas, ainda assim, gosto dela. Acho que ela tem seus altos e baixos como atriz (um robô teria se saído melhor do que ela em "Fim dos Tempos"), mas a Summer, com certeza, é um dos altos. Sabe quando o ator ou atriz se encaixa no papel, tão bem que é difícil imaginar o personagem na pele de outra pessoa? É o caso da Zooey com a Summer. Ela conseguiu ser tão adorável quanto detestável, fazer o público enxergar a Summer com todas as virtudes e problemas que o Tom vê nela.
Além dos dois, também tem o elenco de apoio, com os amigos engraçados do Tom, o chefe "ex-marido da Old Christine" e a Chloe "Hit Girl" Moretz, como a irmazinha fodona.



Também não posso deixar de mencionar a química que os protagonistas têm entre si. É uma coisa tão natural e bem fluída que você chega a acreditar que eles são um casal de verdade e estamos invadindo a sua privacidade, fazendo parte de sua história.

O final é um caso de ame ou odeie. Eu, particularmente, amo.
E nem vou me aprofundar muito na questão "Summer é uma bitch ou não?". Eu acho que não, mas vejam e tirem suas próprias conclusões!

"(500) Dias com Ela" não é um filme sobre um amor maior que a vida e as montanhas que ele move, é um filme sobre um amor que faz parte da vida e as pessoas que ele afeta, com tudo de bom e de ruim que tem a oferecer.



Bem, acho que é isso. Minha missão de fazer a primeira resenha de filme está cumprida e já é hora de eu me recolher. Deixo vocês com dois vídeos:

O primeiro é o "Cinemash Sid and Nancy", uma brincadeira (infelizmente sem legendas) que provavelmente tem mais graça e sentido para quem viu o filme, mas como é muito foda e vale a pena ser visto de qualquer jeito, vou colocar aqui - e não se preocupem, não tem spoilers do filme (mas não veja se você não quiser saber o que aconteceu com Sid Vicious e sua namorada Nancy...).



O segundo vídeo é o bom e velho trailer:




See ya o/

5 comentários:

Miss Carbono disse...

Ainda não assisti esse filme mas pretendo =)

Realmente, Joseph Gordon-Levitt é a cara do Heath Ledger, percebi isso quando vi ele em "A origem" e só isso já me fez simpatizar com ele rs, mas ele é um ótimo ator também.

10 coisas que odeio em você é um dos meus filmes favoritos. Toda vez que passa na sessão da tarde eu assisto, mesmo xingado os cortes que eles fazem no filme =D

teh mais

Clícia Godoy disse...

Vou confessar!
Eu tive que assistir esse filme umas 3 vezes pra entender direitinho!
É cheio de indiretas!

HUnF!

(*Suspira, joga o cabelo e faz cara de vítima!*)

Bjinhos
Psiu!
Silêncio Que Eu Tô Lendo

Jun disse...

Zoey é uma moça hypada mesmo, conhecida também por Zoey-cupcake Deschanel, acho ela chatinha (a primeira vez que a vi foi no filme Sim Senhor, com o Jim Carrey), mas talvez esse papel ela possa fazer bem mesmo. Já ouvi falar muito desse filme, mas nunca soube o PORQUÊ de ele ser tão bom e agora você conseguiu explicar, haha 8D
Qualquer dia vou alugar, e se bobear faço review dele também :]
Ps.: EU SEI o que acontece com Sid e Nancy, pobrezinhos 8< Quer dizer, pobre Sid, se foi a bitch da Nancy que o matou... Whatever, nunca se sabe. D8

Marcela G. disse...

Miss, tb adoro 10 Coisas que Eu Odeio em Você, minha segunda comédia romântica favorita xD E o Joseph e o Heath são mesmo um a cara do outro, né? Gosto muito dos dois, R.I.P. Heath :(
Clícia, sério? Bom, acontece, eu amo esse filme, mas tb conheço gente q não curtiu muito (adorei sua "cara de vítima" haha) ;)
Jun, tb vi a Zooey primeiro no Sim Senhor, acho q no (500) Dias com Ela ela se saiu melhor. Veja e faça review sim, vou adorar ler ;D
É mesmo triste a história do Sid e da Nancy, bem q eu queria ver aquele filme deles com o Gary Oldman xD
Beijos

Miss Carbono disse...

Respondendo seu comentário lá do blog:

Tenho que confessar que sou fã dos filmes da saga o senhor dos anéis mas NUNCA consegui terminar de ler a saga(parei no primeiro livro). Mas li 'O hobbit' xD

Tive uma fase meio fã de star wars, assisti aos episodios 1,2 e 3 no cinema. Mas nunca vi os episódio 4, 5, e 6 (!) É por isso que gosto mais no Anakin do que do Luke =P

Obrigada pelo seu coment. Volte sempre!

teh mais.

p.s.: Vou dar uma de 'fã' chata: Não vai ter mais atualizações no seu blog? Adoro seus posts =D

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...